cultural-fluency-2Pode ser que tenham uma gramática perfeita, mas ela não faz de você um bom comunicador intercultural. Este tema é uma das partes mais subestimadas, mal compreendidas, e ambíguas da fluência no inglês, porém crucial para que nos comuniquemos com confiança e eficiência.

Abordaremos, hoje, 7 importantes frases que melhorarão radicalmente sua fluência cultural no inglês.

E-Livro de graça: 101 Palavras que você não vai aprender na escola

Read this in English | Lea en español

O que é, exatamente, fluência cultural?

Entende-se por fluência cultural a compreensão e uso efetivo das entrelinhas da comunicação. Está relacionada à forma como os bons comunicadores usam o idioma no contato com os outros, como subvertem as regras, e como se sentem e fluem na comunicação. Trata-se de uma percepção sobre o papel da cultura na comunicação e no conflito, e da habilidade para se reagir, adequadamente, a essas diferenças.

Estes sutis aspectos linguísticos não são como regras gramaticais universais e rígidas, que podem facilmente ser mapeadas, mas sim tendências subjetivas dinâmicas. São a essência da comunicação efetiva e um dos maiores desafios dos gramáticos, o que explica o fato de métodos tradicionais, baseados na gramática, serem incompletos.

Essencialmente, a fluência cultural tem a ver com o modo que atitudes, linguagem corporal, costumes, e outros aspectos intangíveis, ambíguos e imperceptíveis influenciam nossa comunicação. Trata-se de algo complicado, multifacetado e multidisciplinar, além de geralmente ocorrer sem que tenhamos consciência. Por tudo isso, muitas pessoas que estão aprendendo inglês vão para outros países para aprenderem o que a gramática não ensina.

Entretanto, se você conseguir encontrar uma forma de aprender e ensinar essas coisas, potencializará sua fluência no inglês. Este guia vai te ensinar um importante aspecto do sistema de fluência cultural que apresentamos a todos os alunos do Real Life English.

Pode ser que você já tenha aprendido várias dessas coisas, mas à medida que for lendo, pense em como reage e integre, hoje mesmo, essas dicas ao seu inglês.

Frases de sobrevivência e fluência cultural

Comecemos com os problemas básicos de fluência cultural que dificultam a vida DA MAIORIA DOS FALANTES DE TODOS OS NÍVEIS:

Como se comunicar quando não se entende o inglês falado.

É o que chamamos de frases de sobrevivência, mas eu gostaria de ressaltar que alunos de todos os níveis cometem esses erros, incluindo, pasmem, vários professores não-nativos. E ainda não vi ninguém dar conta do recado em relação a este tema.

Aqui vai uma breve visão geral das 6 respostas mais deselegantes, do ponto de vista cultural, dadas por falantes/aprendizes quando não entendem o que foi dito.

Na maioria dos casos, EVITE responder assim:

  • “What?” (Quê? / Hein?)
  • “I didn’t / don’t understand” (Não entendi / Não entendo)
  • “uhhh?” ou algum outro som
  • Olhar perplexo / confuso
  • Linguagem corporal expressando medo ou frustração em relação ao interlocutor
  • Buscando socorro de outra pessoa (*iniciantes)

*O 1º vídeo demonstra um MAU uso da fluência cultural

*A mesma conversa, mas com um BOM uso da fluência cultural

Em suma, como aprendiz de inglês, você não deve usar essas respostas, já que, de forma consciente ou inconsciente, são percebidas como deselegantes e rudes, além de serem uma barreira para uma comunicação fluida. Elas podem, também, fazer com que seu interlocutor se sinta incomodado e te considere um mal-educado.

Ainda que as respostas acima estejam gramaticalmente corretas, não contam para uma conversa descontraída ou mesmo para fazer com que as pessoas se comuniquem de forma fluida.

Portanto, tendo-se em conta que falantes nativos podem, eventualmente, se comunicar da forma acima, é aconselhável que você use essas formas até que tenha uma compreensão cultural mais sólida da língua.

Esta lição vai abordar um aspecto importante da solução: FRASES DE SOBREVIVÊNCIA.

Elas são respostas e frases-chave que, ao formarem uma estrutura segura e natural, aumentam a fluência cultural e a leveza na comunicação, além de te darem mais confiança, maior sociabilidade e habilidade para falar inglês de forma fluida.

Antes de mais nada, vamos dar uma rápida olhada em alguns exemplos de deselegância / ineficiência cultural na comunicação.

Está cometendo estes deslizes culturais ao falar em inglês?

scaredHá uns dias, organizamos a mensal Real Life English Party, em Belo Horizonte. Havia cerca de 150 pessoas de todos os níveis de inglês, inclusive falantes nativos.

Esta foi a conversa que tive com uma jovem de nível intermediário:

Eu: What do you enjoy about your job? (De que coisas gosta no seu trabalho?)

Garota: WhaT? (som bem marcado do “t”)

Eu: What do you enjoy about your job? (mais lentamente)

Garota: (Olhar confuso – então ela disse, “What do I enjoy??? Enjoy?!?!?!?! I don’t understand. Speak in Portuguese.”)

A incapacidade dela de intuir o significado de apenas uma palavra, lhe bastando dizer “what does ENJOY mean”, diminuiu a qualidade da conversa. Não fluiu naturalmente, já que a garota não conhecia as frases de sobrevivência, o que não me deixou à vontade durante o papo com ela.

Ela tinha ótimos conhecimentos gramaticais, mas o fato de precisar melhorar a compreensão auditiva não deveria ser motivo para que ela se comunicasse com baixa fluência. Por causa da fraca fluência cultural, a jovem não tinha confiança e nem boas estratégias comunicativas.

Quando ela disse “what?”, fiquei um tanto intimidado, pois parecia que ela estava me interrogando. Entretanto, como tenho experiência e contato permanente com este tema, ensinei à ela o que vou ensinar a vocês hoje.

Uma hora depois, ela não estava somente falando mais inglês, mas também falando de forma fluida, usando as frases, e com mais confiança.

É óbvio que era a mesma garota, com a mesma gramática, mas ela estava falando MUITO melhor por causa das recém-aprendidas estratégias de fluência cultural.

Isso acontece O TEMPO TODO, não somente com falantes intermediários e básicos (mais evidente ainda). A mesma coisa acontece também com os avançados e, surpreendentemente, com professores não-nativos.

Se você não tiver uma percepção intuitiva dos elementos humanos e culturais que fazem parte da comunicação em inglês, os falantes nativos se sentirão menos à vontade ao falarem contigo.

Quando isso acontece, normalmente falo mais devagar, porque é provável que muitos aspectos da minha pronúncia sejam incompreensíveis, e isso me forçará a fazer um esforço consciente para usar palavras mais fáceis.

Por eu ter que falar mais devagar e, por conseguinte, a qualidade da comunicação se tornar deficiente, parece que estou mais ensinando do que me comunicando. A conversa se torna um trabalho para mim.

Se você souber como responder quando você não sabe, os falantes nativos se sentirão mais à vontade ao falarem com naturalidade, e você se sentirá mais cômodo ao permitir que eles o façam.

Frases de Sobrevivência e Comunicação Ativa

A seguir, uma lista com respostas consideradas educadas, talvez até numa forma um tanto exagerada, mas que beneficiarão bastante sua fluência cultural.

BELOW: Listen to the AUDIO (and Repeat) for All Phrases Below- Download here

1.  Sorry? / Excuse me / Pardon?

Quando você não entender algo que alguém disser, incline-se e diga “sorry?” (“excuse me?” or “pardon?”). Falantes nativos usam “what?” algumas vezes, mas isso é deselegante, beirando, de forma sutil e quase inconsciente, o rude. Parece que você está interrogando o interlocutor. Falantes nativos não marcam o som do “T” no final, e quando não-nativos fazem isso, dão a impressão de serem um tanto grosseiros.

Listen to Phrase #1 BELOW

2.  Can you repeat that? / Can you speak slower (or more slowly)?

Caso ainda não consiga entender, estas frases te darão uma segunda chance para ouvir com clareza. É uma grande forma de aprimoramento da compreensão auditiva. Geralmente, as pessoas não se importam em falarem mais lentamente, mas você precisa informá-las. Você e seu interlocutor vão relaxar e se comunicar melhor.

Listen to Phrase #2 BELOW

3.  What does palavra X mean?

Esta é uma questão importante para alunos de nível básico e intermediário, já que quando não se entende uma palavra, a repetição da sentença inteira se torna indesejável. É uma pergunta bem simples, e a pessoa irá te explicar. Você melhora seu vocabulário e mostra que tem interesse em aprender.

É necessário que você esteja atento à pronúncia da palavra para repeti-la corretamente. NOTA: NÃO DIGA ‘what means’ – usamos o verbo auxiliar na pergunta.

Listen to Phrase #3 BELOW (Note: I used “What does that mean” but in the real world you should insert the appropriate word – the word that you’re wanting to understand

4.  How do you say palavra X?

Quando você não souber como dizer uma palavra, não fique confuso. Se conseguir dizer com fluência esta frase, você pode ou perguntar (a) “How do you say uma palavra do seu idioma (ou descrevê-la com sua linguagem corporal), ou (b) se você tiver vocabulário suficiente, diga “How do you say + descrição com outras palavras”. Esta também é uma estrutura válida para outras perguntas, tais como:

  • How do you pronounce palavra X?
  • How do you spell palavra X?

NOTA: NÃO DIGA  “How can I say…..?”

Listen to Phrase #4 BELOW (NOTE: I used “What does that mean” but in the real world you should insert the appropriate word – the word that you’re wanting to learn to say

5.  What do you mean?

“What do you mean?” mostra que você entende o conteúdo do que foi dito, mas não totalmente a ideia.

Neste contexto, esta frase é uma ótima forma de fazer com que seu interlocutor explique ou diga com outras palavras o que acabou de dizer. Isso te dará outra chance de compreender, e não te deixará sem jeito para seguir conversando.

Além disso, você se sentirá com mais segurança ao se comunicar.

Falantes nativos não costumam dizer “I don’t understand” em interações sociais. Trata-se de uma frase mais formal, rígida, não sendo, portanto, comum em contextos mais públicos. A principal explicação para isso, pelo menos nos Estados Unidos, é que somos mais diretos e proativos em nossa comunicação.

Se você quiser que alguém repita, precisa dizer “(I’m) sorry” (ou “Pardon?” / “Excuse me?”). “I don’t / didn’t understand” normalmente é uma tradução do que você diz no seu idioma (principalmente no caso dos falantes de português).

Portanto, NÃO diga, neste caso, “I don’t understand”.

Listen to Phrase #5 BELOW

6.  Do you know what I mean? / “Know what I’m saying?”

“Do you know what I mean?” é a melhor forma de certificar se o interlocutor está prestando atenção ou entendendo o que você está dizendo.

Esta frase também nos serve para verificarmos o nível de compreensão do nosso interlocutor (quase como um “Saca o meu ponto de vista?”). Por exemplo: “Às vezes acho que Frank trabalha demais, entende o que digo?”. Quando você diz  “do you know what I mean?”, você pode estar tanto (a) querendo se certificar como (b) buscando empatia.

Se você disser “do you understand?” pra ter certeza de que estão prestando atenção no que diz ou te entendendo, você passará insegurança, ou mesmo falta de confiança no seu inglês.

Num papo informal, podemos dizer “Know what I mean?” (know whaddi mean).

Outra forma mais coloquial (ou descolada) de se dizer isso é “(Do you) know what I’m saying” (know whaddi’m sayin’?).

NÃO diga, neste caso, “Do you understand?”.

Listen to Phrase #6 BELOW

7.  Linguagem corporal e comunicação fluente

Varia de cultura para cultura, mas é importante notar que a linguagem corporal, nos países falantes de inglês, é tão importante quanto a linguagem verbal. Os psicólogos calculam a linguagem corporal é responsável por 50-80% da nossa comunicação.

É importante que você incorpore os aspectos culturais do inglês para uma boa fluência cultural no idioma. Como aprendiz, sua linguagem corporal será um indicador do seu nível de confiança, e do quão aberto você está para o seu interlocutor. Se você estiver assustado, a linguagem do seu corpo externará esse medo.

Sendo assim, que linguagem corporal seria a mais adequada para a comunicação? O ideal é que você não deixe seus braços e pernas cruzados. Quando você não entender, incline-se e comunique ao seu interlocutor que você tem interesse em aprender com ele. Isso se chama escuta ativa.

Assuma a responsabilidade se não entender alguma coisa. Muitos aprendizes, ao se verem frustrados, inconscientemente culpam seus interlocutores. Se você fizer isso, a pessoa com quem você estiver falando não se sentirá cômoda ao falar contigo.

A atitude correta para a fluência cultural

the-right-attitudeEstas frases de sobrevivência e estratégias listadas acima são muito importantes para a fluidez cultural de aprendizes de todos os níveis.

Apesar de não serem um parâmetro universal que mostre como falantes nativos falam e respondem, elas são compostas por elementos universais da comunicação entre nativos. Além disso, elas conferem aos aprendizes, do nível básico ao avançado, condições para que possam aprender naturalmente em todos os contextos de fala, já que oferecem uma estrutura segura e culturalmente sensível para uma boa comunicação.

Digo aos meus alunos que, ainda que não falem inglês fluentemente, aprender a usar este pequeno grupo de palavras de forma fluente fará uma diferença enorme na comunicação deles.

Com elas, você rapidamente terá coragem para falar, aprender, e desenvolver a atitude correta para uma sólida fluência, não importando qual seja o seu nível. Ao aprendê-las, você se motiva a desenvolver confiança, e seus interlocutores se sentem mais à vontade ao falarem contigo.

Para alunos de nível básico e intermediário, falar com falantes nativos e entendê-los são um verdadeiro desafio. É como ir para um campo de batalha, e você tem que ser duro na queda. Entretanto, isso ajuda BASTANTE.

Ganhar fluência com estas frases não é difícil, e a recompensa é GRANDE. Elas serão suas armas, você aprenderá, se expressará, cometerá erros e sofrerá, mas seu aprendizado e comunicação serão bem mais fluidos e culturalmente aceitos.

Ao dizer “sorry?”, incline-se levemente à frente para demonstrar interesse. Aja com confiança, interessado no que a pessoa está dizendo. Muitas pessoas ficam realmente assustadas ao falarem em inglês, e parecem jogar a culpa em mim por não compreenderem. Mostre confiança. Mostre interesse. Mostre que tem vontade de estar em sintonia com seu interlocutor.

Uma linguagem corporal adequada revela uma postura psicológica favorável à fluência cultural, o que significa estar em sintonia com seu interlocutor, e isso é importante para que ele se sinta a gosto contigo.

O fator psicológico

Aprender e aperfeiçoar estas frases não só te darão confiança, mas também darão mais naturalidade ao seu inglês, e sua competência social no idioma será maior. Tudo isso elevará os níveis de fluência a patamares cada vez mais altos.

Sempre digo aos meus alunos iniciantes que, aprendendo SOMENTE estas frases, não terão problemas em um contexto de fala nativa, e irão “hold their own” (se expressarão de forma satisfatória no nível básico, e evitarão maiores problemas comunicativos).

Se você for um aluno de nível avançado, mas não estiver lançando mão destas frases, saiba que está perdendo a chance de dar um passo rumo à fluência cultural, que é para a vida toda.

É muito importante que você as use de maneira regular, inconsciente e fluente. A fluência cultural faz o resto da comunicação fluir muito melhor. Enfim, é essa a lição de hoje. Se você quiser saber mais sobre fluência cultural e sobre a metodologia do Real Life English, te convidamos a dar uma olhada no nosso minicurso gratuito , que te dará uma grande noção!

Desta vez, o primeiro vídeo mostra uma fluência cultural ADEQUADA. No segundo, a INADEQUADA

TRANSLATION: This article was translated to Portuguese by RealLife Community Member, Rodrigo Penna.

Volte para a página dos artigos do RealLife English

  • Rodrigo says:

    Ótimo trabalho, Justin!

    • Justin says:

      Muito obrigado Rodrigo!

  • Ronaldo Abdala says:

    Thank you for share it!

    • Justin says:

      Thanks for the nice comment Ronaldo!

  • Marcos Vinicius Da Cruz Andrade says:

    Good tips!

  • Marcos Vinicius Da Cruz Andrade says:

    Good tips!

  • mmmm… não é "descolado" dizer "descolado" hehe

  • I'm sending this to my students! Awesome tips. One reason as to why Brazilians may end a sentence with "do you understand?" is that we actually have this expression in Portuguese, so some people prefer to just literally translate it than to check for an equivalent in the target language. Lazy us!

    • Justin says:

      I’m glad it was helpful, Barbara! That’s completely natural that people translate it… additionally, “Do you understand?” is correct grammar, and it makes sense in a literal way. Thank you for reading and for the comment. Cheers!