Skip to content

7 motivos que levam pessoas a não se tornarem fluentes após um intercâmbio de inglês

Não deixe esta tragédia acontecer com você! Não volte do seu intercâmbio sem atingir fluência.

Escolha aproveitar ao máximo sua experiência de estudos fora.

Muita gente gasta muito tempo e dinheiro para viajar para fora em um intercâmbio para aprender inglês.

No entanto, grande parte volta SEM ter aprendido a usar a língua.

Leia este texto em inglês  /  Entre na Real Life English International  Learning Community

Isso é muito triste, desconcertante e acontece MUITO MAIS DO QUE AS PESSOAS IMAGINAM! Muita gente passa anos aprendendo gramática em seu país de origem sonhando com uma experiência de intercâmbio perfeita! Muitas voltam desapontadas por não terem se tornado FLUENTES em Inglês.  *Participe do RLE/ RCIIS sorteio para ganhar um curso de 4 semanas em Toronto

NOTA: A maioria das vítimas NÃO ADMITE isso. (nem para elas mesmas)!

NÃO DEIXE QUE ACONTEÇA COM VOCÊ

Como podemos aprender a evitar tais situações? Nosso primeiro conselho é: INFORME-SE. O blog Real Life English Exchange é o lugar perfeito para você começar! Entre em contato – no fim da página ou nas laterais – para receber mais informações.

Está na hora de investir seu tempo e seu dinheiro num processo de criação e de planejamento do SEU intercâmbio perfeito. E que isso seja feito AGORA, ou depois você pode se arrepender.

Abaixo estão algumas das principais razões de uma pessoa não atingir fluência em um intercâmbio.

SETE RAZÕES QUE LEVAM PESSOAS A NÃO SE TORNAREM FLUENTES APÓS UM INTERCÂMBIO DE ESTUDOS

 1.PREGUIÇA— Deveria haver um artigo dedicado à preguiça, porque ela é o motivo principal das pessoas falharem em seus estudos fora.

Poderiam ser incluídas aqui também: falta de entusiasmo, de responsabilidade e de iniciativa. Ainda, há a falta de investimento pessoal no processo de aprendizagem de uma linguagem.

A preguiça pode aparecer no processo decisório, na preparação, na hora de encontrar uma boa agência de viagem e um bom programa, quando se chega lá e na hora de voltar.

Essas pessoas não se responsabilizam pelo seu inglês, e esperam que uma experiência fora transplante o inglês para dentro de seus cérebros como um chip de computador.  A preguiça se manifesta em quase todos os caminhos seguintes. (deste o nro.2 ao 6 – abaixo)

NOSSO CONSELHO É colocar um propósito no seu processo, abrir a sua imaginação e sua vida para os aspectos sociais e culturais da língua, usar a mídia e as redes sociais ao máximo. Dessa forma, o inglês fará, cada vez mais, parte da sua vida.

Se você se sente desmotivado durante o processo de aprendizagem, olhe para dentro de si e descubra o por quê. A Língua Inglesa não é chata e sem graça quando seu processo para aprendê-la está ligado a um propósito profundo e claro!

 2.AS PESSOAS PENSAM QUE INTERCÂMBIO PARA APRENDER INGLÊS É UMA SOLUÇÃO MÁGICA PARA SEUS PROBLEMAS DE APRENDIZADO.—Quando as pessoas não passam por um processo de preparação de linguagem correto (por qualquer que seja a razão), elas geralmente pensam que viajar para outro país vai resolver seu problemas. Pensam que, automaticamente, vão adquirir fluência no inglês, como se uma língua fosse um chip que pudesse ser comprado e inserido no cérebro.

Pensar assim é ser muito ingênuo e permitir-se continuar a NÃO ter responsabilidade pelo processo.

Morar em um país de língua inglesa É, sem dúvidas, uma ÓTIMA oportunidade, mesmo que você não fale muito a língua antes de ir. No entanto, estar lá não substitui o desejo real e o prazer de passar pelo processo de aprendizagem. Não resolve seus problemas com a língua e não transmite o inglês de forma mágica para o seu cérebro.

MEU CONSELHO É não esperar até o intercâmbio para ficar motivado. Se você não gosta do seu processo de aprendizagem em casa, há uma grande chance que o mesmo aconteça fora.

Saiba que as circunstâncias nunca são perfeitas e as desculpas que damos a nós mesmos mascaram os verdadeiros problemas.

 3.FALTA DE INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS acerca de COMO se preparar para um intercâmbio de estudos de sucesso.

As pessoas geralmente não sabem quando estudar fora ou como se preparar para a experiência. Elas também não sabem o que evitar ao chegar ao país ou o que procurar numa agência. Finalmente, quando acabam o programa e voltam para casa, não sabem o que fazer para manter o inglês em seu país de origem.

NOSSO CONSELHO É informem-se. Saibam quais são as qualidades de um programa de sucesso, siga o blog Real Life English Exchange, converse com pessoas que você conhece e confie naquelas que já viajaram com o mesmo propósito.

Vocês deveriam tentar entender como essas pessoas ficaram satisfeitas com a experiência e o quanto elas realmente aprenderam. Faça perguntas específicas e tente ver além das palavras para sentir como foi aquela experiência.

4. NÃO USAR O SUFICIENTE A LÍNGUA EM SITUAÇÕES REAIS DO DIA-A-DIA COM OS NATIVOS.

É fácil passar grande parte do seu tempo em outro país sem falar inglês em situações autênticas e da vida real.

Esse fato é especial para os tímidos ou para aqueles que têm dificuldade em conhecer gente nova. Se você já acha difícil conhecer pessoas na sua língua nativa, será mais difícil ainda em inglês. Você realmente precisa sair da sua zona de conforto!

Outro fato comum que acontece é que as pessoas fazem amizades com os colegas de classe e, como se sentem confortáveis com o nível de inglês deles, acabam não falando inglês com os nativos da língua. Essa decisão é difícil de ser tomada, uma vez que você pode gostar muito de sair e de conversar com seus colegas de classe, mas lembre-se do motivo da sua viagem.

MEU CONSELHO É buscar por situações para falar inglês com nativos antes de viajar. Uma rede social que possui encontros regulares em quase todas as cidades do mundo é o Couchsurfing. O Couchsurfing consiste em uma rede internacional de viajantes e possui fóruns e comunidades para quase todas as cidades grandes.

Antes de viajar, tente encontrar pessoas na internet que tenham os mesmos interesses. O que você gosta de fazer? Conecte-se com estas pessoas lá. Isso demanda muita iniciativa própria, mas vai melhorar drasticamente a qualidade da sua viagem.

5. AGÊNCIAS DE INTERCÂMBIO DE ESTUDOS geralmente não levam em consideração os interesses do estudante ao recomendar e vender seus programas. Elas são empresas e estão tentando obter lucro. Além de tudo, elas recebem comissão, o que significa que você deve levar isso em consideração quando te recomendarem uma escola ao invés de outra.

Alguns programas irão criar a ilusão de escassez de vagas, fazendo com que você se sinta apressado, pois se não entrar, vai perder seu lugar. No entanto, seu intercâmbio de estudos não pode ser uma decisão impulsiva. É necessário paciência, aprendizado sobre as diferentes opções e a busca pela agência perfeita.

Já ouvi histórias horríveis sobre classes com alunos demais, professores ruins – alguns que não eram nem nativos e tinham seus próprios problemas com o inglês. Também já soube de classes com estudantes de níveis completamente diferentes (teste de nível inadequado) e de acomodações que ficavam a duas horas de distância da escola.

NOSSO CONSELHO É olhar por um agente que tem uma experiência de sucesso com estudos fora e que entenda os diferentes ângulos da experiência. Abaixo estão algumas perguntas importantes para você fazer:

  • Como é exatamente a acomodação?
  • Quantos estudantes em intercâmbio eles estarão hospedando?
  • Eu terei meu próprio quarto?
  • A acomodação fica a qual distância da escola?
  • Há alguma área social/cultural importante por perto onde eu possa fazer amigos com facilidade?
  • Se eu não gostar da minha acomodação, posso pedir transferência ou mesmo receber o dinheiro de volta e encontrar um lugar por conta própria?
  • Quantas pessoas estarão na aula e elas serão do mesmo nível que eu?
  • Qual tipo de teste eles usam para nivelar os estudantes?
  • Qual a proporção de estudantes brasileiros e de onde são os demais?
  • Se eu não gostar da escola, posso receber o dinheiro de volta e ir para outra (a maioria das cidades grandes têm várias opções)?
  • Você pode até mesmo perguntar qual a parcela de comissão a agência está recebendo e comparar com outras escolas. As boas agências não têm medo de serem transparentes.

 6. ACOMODAÇÕES COM NÃO NATIVOS E CONEXÕES PESSOAIS.

Já conversei com muita gente que ficou em acomodações em casa de família por meses e não se conectou com a mesma. Essas pessoas, ou famílias, hospedam tantos estudantes que o ato torna-se impessoal. O lado empresarial da parceria rouba a oportunidade do estudante de enriquecer culturalmente e em termos da própria língua.

Outra coisa para se tentar evitar é ficar em famílias de não nativos. Já ouvi muitas reclamações de famílias que tinham problemas com o inglês. Lembre-se de que você vai para um país para ter contato com a fonte nativa da língua inglesa.

NOSSO CONSELHO É perguntar muitas coisas e deixar tudo claro antes. Se uma agência ou escolar tenta te colocar em uma casa de família de pessoas nativas de outro país, você deve começar a questionar a habilidade deles em te proporcionar a experiência que você está pagando para obter.

7. NÃO SABER COMO USAR O INGLÊS QUANDO VOCÊ VOLTAR

Este conselho final não tem nada a ver com a experiência em si, mas com o que você vai fazer quando voltar. É muito comum as pessoas esquecerem muita coisa que aprenderam simplesmente por não encontrarem uma maneira de fazer com que o inglês seja parte da vida delas quando estão de volta em seu país.

Entretando, existem muitas opções, com a disponibilidade crescente das redes sociais online e presenciais, tais como a Real Life English International Community, o Couch Surfing e o Livemocha!

Além disso, a tecnologia disponibiliza, cada dia mais, opções para que o inglês seja parte da sua vida. Existem os programas de entretenimento, incluindo programas de TV, filmes, rádios online, além do mundo sensacional dos podcasts.  Existem diversas opções para fazer com que o inglês seja parte do seu dia-a-dia.

CHAMADA PARA AÇÃO

Não espere! Comece a sonhar agora. Comece a pesquisar agora. Você pode começar a fazer com que o inglês seja parte da sua vida.  Seu intercâmbio será a cereja do bolo e não o bolo em si. Mesmo se sua experiência fora esteja ainda longe de acontecer, comece agora!

Faça parte da Comunidade Internacional de aprendizado Real Life English para ter o apoio de falantes de todo o mundo. Faça parte da nossa lista de e-mails para obter atualizações e informações sobre o blog Real Life English Exchange. Você terá informações sobre publicações futuras, artigos gratuitos e doações de bolsa!

Este artigo foi útil? Quais são suas ideias? Adoraríamos ter o seu feedback e, se este artigo tiver sido útil, ficaríamos gratos se você o compartilhasse!

Sete Razões que Levam Pessoas a Não se Tornarem Fluentes Após um Intercâmbio de Estudos é o primeiro de uma série de artigos chamados Como Planejar O SEU Intercâmbio Perfeito. Vamos falar mais sobre este assunto e outros no Blog Real Life English Exchange, bem como discutir estágios futuros em artigos que virão a seguir. Entre na comunidade RLE e siga-n0s.  

Leia o primeiro artigo da série: Quatro Perguntas para se Fazer Antes de Estudar Fora.

 

>