Skip to content

Inglês acelerado com Adir Ferreira

Accelerated EnglishEste é um guest post escrito por Adir, membro estrela da Real Life English Comunidade Internacional e um amigo nosso. Ele também é um blogueiro profissional distinto e professor de Língua transparente.

Olá, pessoal do RLE! Fiquei muito feliz quando o Justin me pediu para escrever um post aqui para o blog e compartilhar com vocês como eu aprendi inglês. Fiquei pensando nisso e me dei conta de que ainda estou aprendendo inglês – todo santo dia!

Antes de explicar como aprendi a falar inglês deixe-me contar como eu aprendi a ler e a escrever. O que eu vou contar é uma história verdadeira e é meio que uma “lenda” para algumas pessoas. Minha mãe é uma mulher muito religiosa e lá nos anos 80 (eu tinha uns 5 anos!), minha família estava fazendo uma novena de Natal e eu pedi se poderia ler uma passagem da Bíblia – e eu li!

Não sei como isso aconteceu – nem ninguém, aliás – mas desde esse momento eu senti que aprender algo tinha uma maneira especial de acontecer. Eu até pulei o jardim da infância e fui direto para a primeira série.

Agora vamos para 1985, quando eu tinha 10 anos e a música “We Are The World” foi lançada. Tinha uma loja aqui em Bebedouro (SP) que estava distribuindo a letra da música com a tradução – um tipo de campanha para atrair clientes. De alguma forma essa letra chegou até mim e, como todo mundo, eu fiquei hipnotizado em ver tantas estrelas internacionais cantando com um objetivo maior. Comecei, então, a ler a letra e comparava as palavras em inglês com os correspondentes em português; dá para imaginar que não fazia muito sentido para mim por causa da ordem das palavras.

No ano seguinte eu comecei a ter aulas de inglês na escola. Eu dava muito trabalho para a professora de inglês, pois eu era muito curioso. Ao mesmo tempo, alguns amigos dos meus pais viram que eu tinha facilidade para aprender idiomas e me deram um curso de inglês com quatro LPs e dois livros para acompanhar. Eu chegava da escola e estudava com aquele material igual um louco e realmente curtia fazer aquilo.

Aos quatorze anos eu consegui uma bolsa de estudos para ter aulas numa escola de inglês. Como você pode imaginar, fui do nível 1 ao nível 3 em duas semanas. Estudei lá por um ano então tive que parar pois estava mudando de escola e não consegui um horário. Passou-se um ano e uma outra escola de inglês abriu em Bebedouro. O diretor ligou para alguns alunos, que ele sabia que tinham nível intermediário, para montar um grupo.

No outro ano, em 1992, foi quando começou minha carreira de professor. Eu tinha um amigo no ensino médio que era amigo de um cara que ia abrir uma outra escola de inglês em Bebedouro e ele me indicou. Fui convidado para uma entrevista e pronto! – meu primeiro grupo de inglês era num sábado à tarde! (não era muito divertido, acredite!)

Uma das coisas que me ajudou a aprender inglês tão bem foi que eu sempre fui muito curioso e muito ativo no meu aprendizado. Quando você ensina você aprende muito pois você tem que saber e no meu caso, eu sempre gostei de fazer aquele esforço extra, por assim dizer.

Um momento muito importante da minha vida de aluno/professor foi quando estava lendo o suplemento dominical de cultura de um jornal e vi um anúncio de um cara de Minas Gerais. Ele tinha alguns amigos americanos que gravavam séries de TV como “Barrados no Baile” (Beverly Hills, 90210) e “Melrose Place” para que ele pudesse fazer cópias, em VHS, e vender. Eu comecei a comprar episódios dessas duas séries, que vinham com comercial e tudo, e foi aí que comecei a realmente desenvolver minhas habilidades de ouvir em inglês.

Eu assistia os mesmos episódios várias e várias vezes e aquele vocabulário que eu lia nos textos tinha vida – era incrível ver como as coisas iam se encaixando. Uma técnica que eu usava inconscientemente era imitar o que os personagens diziam, até mesmo suas expressões faciais, e isso me ajudou muito na minha conversação. Então se você gosta de séries e filmes, eles são um grande aliado para o seu aprendizado.

Alguns anos depois eu comecei a dar aula numa escola que tinha uma biblioteca enorme – cheia de livros originais em inglês de autores como Stephen King e John Grisham. Comecei a pegar esses livros emprestados para melhorar meu vocabulário e realmente melhorou. Sempre digo às pessoas que ler é uma das melhores coisas para aprender – não somente idiomas, mas qualquer coisa em geral. Abre um mundo novo e você começa a mudar a sua maneira de pensar e fazer as coisas.

Deixe-me compartilhar uma última coisa com vocês: eu nunca perdia uma chance para usar meu inglês. Sempre que tinha um “gringo” na cidade, eu me apresentava e começava a conversar, na maior cara de pau, e ainda por alguns minutos. Se você tem medo de cometer erros e que as pessoas te julguem, não tenha! Se você nunca tentar, nunca vai saber se vai conseguir. Uma das grandes recompensas na minha vida de aluno e professor foi quando eu fui para os Estados Unidos pela primeira vez e quando eu dizia que era brasileiro, as pessoas diziam, “Você não fala igual brasileiro!”. Isso é massa, para dizer o mínimo.

Bem, espero que minha experiência de aprendizado seja útil para você de alguma forma e sempre lembre-se: se alguém já fez, você pode fazer também.

Mais de Adir

Blog – www.adirferreira.com.br

TL Inglês – http://blogs.transparent.com/ingles/

Facebook – www.facebook.com/adirferreiradiomas

Twitter – www.twitter.com/adirferreira

>